Marco Costa

Marco Costa

Marco Costa

Marco Costa

Marco Costa

“The every day experience on drawing for an healthy life”.
Desenvolve o seu trabalho no campo das artes visuais entre a investigação, docência, produção e crítica. Expôs em mais de 100 eventos coletivos ligados às artes plásticas, ao design e ao multimédia desde 2000, entre os que se destacam 3 exposições individuais de pintura e desenho. Durante o evento ‘Nós e os Cadernos’ abordou a dicotomia ‘Diluição ou simultaneidade privado/público – O diário gráfico como espaço heterotópico’.

Pedro Cabral

Pedro Cabral

Pedro Cabral

Pedro Cabral

Pedro Cabral

Pedro MB Cabral, licenciado em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, ESBAL.
Vive e trabalha em Lisboa. Desenha, faz vela e viagens a pé. Do seu blog BONECOS DE BOLSO traz a inspiração para o ‘Nós e os Cadernos’.

Eduardo Côrte-Real

Eduardo Côrte-Real

iade mestrado

kobkol

London

Eduardo Côrte-Real é licenciado em Arquitetura e, em 2001, publicou o livro ‘O Triunfo da Virtude, As Origens do Desenho Arquitetónico’, no que desenvolve a ideia de que o conceito de Virtude migrou do domínio Ético para o estético através do Desenho.
Galardoado com o prémio João Branco de investigação em Design da Universidade de Aveiro, com um projeto financiado pela FCT sobre Design e Cultura Visual na segunda metade do séc. XX em Portugal, é atualmente editor-chefe do jornal online “The (radical) Designist”, ThRaD. Mais recentemente, publicou os livros ‘The Smooth Guide to Travel Drawing’ e ‘The Triumph of Design’. É advisor do Journal “Drawing: Research, Theory, Practice” da Intellect Books. Para o evento ‘Nós e os Cadernos’ leva a reflaxão: ‘Neutralidade e Desenho Documental, Entre o Flaneur e o Documentarista’.

Manuel João Ramos

Manuel João Ramos

Manuel João Ramos

Manuel João Ramos

Manuel João Ramos

Manuel João Ramos é Professor associado no Departamento de Antropologia do ISCTE-IUL, investigador sénior do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL e professor visitante do Indian Institute of Technology – Gandhinagar. Realiza investigação no domínio da antropologia do simbólico e da arte, e da epistemologia das ciências sociais.
Do inúmero trabalho de investigação realizado, destaque para a publicação de artigos na área da antropologia gráfica (‘Stop the Academic World, I wanna get off in the Quai de Branly’, Revista de Arte & Antropologia, 4, 2, 2015; ‘Drawing Close – on visual engagements in fieldwork, drawing workshops and the anthropological imagination’, Journal of Visual Ethnography, 2016, no prelo). Tem, igualmente, ilustrado livros de escritores portugueses (Luís Pacheco, ‘Prazo de Validade’, Lisboa, 1998; Rui Zink, ‘O Bebé que…, Lisboa’, 2002, 2003, 2004, e ‘Os Surfistas’, Lisboa, 2001; José Artur Fernandes, ‘Gonçalo entre os Guaranis’, Lisboa, 2002; Alain Jézéquel, ‘Estarei mesmo doente?’, Lisboa, 2001). Para o evento ‘Nós e os Cadernos’ leva uma abordagem d’O desenho na investigação antropológica’.

José Louro

José Louro

Veneza 23Mar2016

Veneza 24Mar2016

Veneza 26Mai2016

José Louro
Professor, sketcher obsessivo no quotidiano, é um dos correspondentes fundadores da associação internacional Urban Sketchers e, ainda, do blog Urban Sketchers Portugal. Co-autor nalguns casos, e com participações noutros, nos livros “Expedição Costa da Laurissilva” (2013), “Urban Sketchers em Lisboa. Desenhando a cidade” (2011), “Diário de Viagem em Lisboa” (2010), “Diários de Viagem. Desenhos do Quotidiano” (2008), no evento “Nós e os Cadernos” abordará, sobretudo, a relação entre ‘Eles e os Cadernos’.

Manuel San-Payo

Manuel San-Payo

Manuel San-Payo

Manuel San-Payo

Manuel San Payo
Licenciado em pintura na E.S.B.A.L, é Professor Auxiliar de Desenho na F.B.A.U.L com vasta colaboração enquanto ilustrador em jornais, livros, capas de discos, cartazes. É membro fundador da Galeria Monumental, em Lisboa, onde exerce a função de diretor e curador.
“Caro Diário”, assim se dirige ao Diário Gráfico e, assim, intitula a sua participação no evento “Nós e os Cadernos”

Alexandra Belo e Vítor Mingacho

Vítor Mingacho e Alexandra Belo

Vítor Mingacho

Vítor Mingacho

Alexandra Belo

Alexandra Belo

Cidadãos do mundo, Alexandra Belo, nascida em Castelo Branco, e Vítor Mingacho, nascido em Alcains, utilizam o desenho como meio de expressão, pensamento ou pura observação.
Estudaram arquitetura, viveram em Barcelona, viajaram mundo fora e, atualmente, exploram a transposição do diário gráfico para uma dupla relação com a contemporaneidade das técnicas digitais e com a tradição das técnicas artesanais.
Chegam ao ‘Nós e os Cadernos’ para refletir sobre o caminho ‘Do diário gráfico à experimentação gráfica’.

Mário Linhares e Ketta Linhares

Mário Linhares

Ketta Linhares

Timor Leste

Timor Leste

A dupla Mário Linhares | Ketta Linhares soma ao debate a perspetiva d’O caderno como instrumento de ensino’.
Ele, português nascido em Oeiras; ela, timorense nascida em Dili.
Ele, diretor de educação dos Urban Sketchers. Ela, líder do projeto artesanal Laloran, cadernos para desenhar e escrever.
Ele, lidera projetos humanitários desde 97 e relaciona-os com o desenho, em retiros de diários gráficos, sob o tema “O espiritual no Desenho”.
Ela, utiliza os cadernos como laboratório de experiências em que o desenho e as colagens de “coisas inúteis” compõem histórias únicas.
Ambos, são co-autores do livro Diário de Viagem | Costa do Marfim, premiado em França.

Eduardo Salavisa

Eduardo Salavisa

Cadeia Aljube

Beja

EDUARDO SALAVISA, desenhador do quotidiano.
Parte para o evento “Nós e os Cadernos” com a questão: “E porquê no caderno?
Desenha, escreve e expõe sobre Diário Gráfico em qualquer lugar e circunstância nas suas viagens e no quotidiano.
Gosta de viagens sem data ou itinerário, de preferência pelo Sul e a desenhar obsessivamente.